29 fevereiro 2016

Meu mês de fevereiro

Se eu viver o resto do ano do jeito que eu vivi fevereiro, 2016 será um ano maravilhoso.

Mais do que fazer coisas, esse mês eu vivi coisas, e confesso que estar de férias ajudou, mas eu fiz coisas que eu jamais pensaria em fazer ou viver em um futuro breve. Coisas que eu pensei que jamais pudessem acontecer comigo, mas que não aconteciam por eu não deixar acontecer. Nesse mês de fevereiro eu aprendi que tenho que deixar as coisas fluírem naturalmente e me arriscar de vez em quando, mesmo com todas as forças do universo dizendo que não. 

Em fevereiro eu não terminei de ler nada, fato. Eu comecei a ler Orgulho e Preconceito e continuei Guerra dos Tronos. Para não falar que não terminei nada, terminei Dezesseis Luas que já vinha lendo à um tempo. Em compensação assisti vinte filmes, dos quais não comentei nenhum, ops. Em minha defesa eu fiquei três dias inteiros sozinha em casa, o que ajudou a passar parte do dia na Netflix e navegando pela TV. Foram eles:

06/02 - Lola (2012) ★★★★★ (reassistido)
Minto, eu não "reassisti" Lola, a verdade é que eu coloquei pra rodar e fui fazer outras coisas. Eu já sei esse filme de trás para frente, então foi mais uma coisa para preencher o tempo mesmo.

06/02 - Como não esquecer essa garota (2013) ★★★★★
Eu amei esse filme apesar de não ter favoritado. Ele é no mesmo estilo de Como Se Fosse a Primeira Vez, só que aqui é o cara que tem problemas de memória, e ele sabe, e ele fará de tudo para tentar não esquecer essa garota (explico super bem). 

06/02 - Homem de Ferro 3 (2013) ★★★★★
Não lembro de ter assistido o primeiro nem o segundo, mas gostei bastante do terceiro.

06/02 - Thor: O Mundo Sombrio (2013) ★★★★
Assim como Homem de Ferro 3, estava passando no Disney XD, deixei rolar, já comentei que o Thor não é meu vingador favorito?

06/02 - Os Vingadores (2012) ★★★★★
Eu não lembro se já tinha assistido Os Vingadores, mas aproveitando a maratona Marvel do Disney XD, emendei na Netflix.

06/02 - O Pequeno Stuart Little (1999) (reassistido)
Por fim antes de dormir, quando eu deveria estar tendo vida social, voltei agora para a Disney normal e estava passando O Pequeno Stuart Little, esse filme continua sendo estranho e fofo ao mesmo tempo.

07/02 - Dezesseis Luas (2013) ★★★ (como adaptação ★★ como filme independente ★★★★★)
No dia seguinte eu descobri que tinha a adaptação de Dezesseis Luas na Netflix, mas pelas estrelas dá para ver que não foi lá essas coisas, né? Se você não ficou feliz com a adaptação de Percy Jackson, saiba que aqui não tem quase nada a ver com o livro, em uma hora eu simplesmente parei de assistir como adaptação e me deixei levar como um filme independente. 

07/02 - Star Wars IV: Uma Nova Esperança (1977) ★★★★★
Apesar de já conhecer Star Wars há anos, foi como se eu estivesse assistindo pela primeira vez. De algum modo eu fiquei nostálgica com esse primeiro filme e apesar de parte de mim ter se arrependido de não ter assistido O Despertar da Força no cinema, a outra parte está doida para (re)assistir os outros cinco antes.

07/02 - Homem Aranha (2002) ★★★★★ (reassistido)
07/02 - Homem Aranha 2 (2004) ★★★★★ (reassistido)
07/02 - O Espetacular Homem Aranha (2012) ★★★★★ (reassistido)
Estava tendo maratona do Homem Aranha na TNT, assisti os dois primeiros da antiga trilogia, pulei o terceiro porque eu não gosto (desculpa), fiz umas panquecas e fui assistir a estreia do Garfield que pra mim não era novidade. Como todo mundo sabe que adoro Homem Aranha, não vou me estender.

08/02 - Questão de tempo (2013) ★★★★
O filme é legal, mas faltou alguma coisa. 

08/02 - Descendentes (2015) ★★★★★
Mais Disney, impossível. Só que eles deixaram um cliffhanger para o segundo filme, mas confesso que não estou empolgada.

09/02 - Mulan 2 (2005) (reassistido)
Simplesmente estava passando na Disney.

09/02 - Operações Especiais (2015) ★★★★★
Esse filme é nacional, tem policiais, favela, aquela coisa toda, mas com uma diferença: uma mulher inserida nesse ambiente tipicamente masculino tendo de lidar com as gracinhas dos outros policiais por ser mulher, e por outro lado se tornar a heroína das outras mulheres por ter coragem de estar onde ela está. É bem aquela coisa da delegada Heloisa de Salve Jorge (apesar de ser uma comparação meio meh). Vale a pena assistir pela personagem da Cleo Pires.

10/02 - Os Delírios de Consumo de Becky Bloom (2009) ★★★★★
Atoa na Netflix mais uma vez, não lembro de ter assistido esse filme antes apesar de saber do que se trata. É bem bacana para ilustrar o consumismo e a redenção dos viciados em compras.

11/02 - O Regresso (2015) 
Confesso que apesar de ser um indicado ao Oscar eu só assisti esse filme porque eu estava em um encontro e o cara escolheu esse filme, eu estava mais afim de assistir Deadpool. E como eu estava em um encontro, bom, não prestei muito atenção no filme, mas do que vi, gostei. É um filme longo, definitivamente não é para qualquer um, tem gente que simplesmente não tem saco para filmes assim, e parte de mim quer assistir de novo para tirar minhas conclusões. Espero que o primeiro encontro da minha vida tenha dado sorte para o DiCaprio.

17/02 - Deadpool (2016) ★★★★★
Eu amei esse filme!!!!! Fui assistir no aniversário de uma amiga e foi melhor do que eu imaginei. Deadpool superou minhas expectativas e espero logo ver a continuação.

20/02 - In Your Eyes (2014) ★★★★★♥ 
Uma amiga me indicou esse filme e é bem aquele típico romance, só que, os protagonistas são ligados um ao outro mentalmente. O que um vê, o outro vê. Esse filme mexeu muito comigo, não só por ser fofo, mas ele foi feito de uma forma tocante. Os dois fazem tudo para ficar juntos. É o tipo de filme que te faz suar de nervoso por te fazer torcer pelos mocinhos. É lindo! A Anna Vitória comentou na newsletter dela sobre sentir coisas assistindo coisas, e foi o que me aconteceu assistindo a esse filme. Senti coisas.

"É isso que bons filmes (ou livros, ou músicas) fazem: a gente se identifica com histórias que não viveu e sente as coisas na pele, ainda que esteja longe, bem longe daquilo."

24/02 - A Nova Cinderela: Era uma vez uma canção
Mais uma versão da Cinderela, dessa vez com a Lucy Hale.
Além desses vinte filmes, não só de Netflix eu vivi, tive o que pode ser chamado de vida social quatro vezes, que seriam sete se eu não tivesse desistido de duas e não ter visto a notificação de uma. O que eu acho é que as pessoas subestimam o Tinder, apesar das bizarrices de alguns caras eu consegui ter dois encontros em menos de um mês, e os dois foram ótimos de maneiras diferentes.

Antes do encontro com o segundo moço acontecer eu fiquei chamando a situação de “Cilada Gratuita” porque minha intuição cismou que ia dar ruim. Eu sempre fui uma pessoa muito intuitiva, que ouve com atenção os pressentimentos, e dessa vez não foi diferente, mas ao invés de não fazer, fiz tomando precauções, que no final, eram desnecessárias. O cara não era o maníaco do parque. Aquela voz dizendo que tinha alguma coisa errada, era a coisa errada, era o medo falando mais alto. É importante ouvir a intuição, mas é mais importante ainda saber que nem sempre ela está certa.

Além² de ter saído com os caras e com uns amigos, eu pintei meu cabelo de vermelho e agora em março vou tentar clarear, mande boas vibrações, por favor. E eu experimentei cerveja! Pois é. Ainda não vejo qual a graça da gelada, mas depois de uns goles a vodka ficou forte demais pra mim, ou era só um mal dia. Ou seja, não é ruim, mas também não é bom.

Por último mas não menos importante, fevereiro foi o mês da criação oficial do meu site! Agora eu finalmente tenho um portfólio para chamar de meu e depois de muito andar em círculos, por que não focar de vez na fotografia por enquanto? Como disse meu ex-professor do curso de fotografia:

"[...] não importa o quanto maravilhosas suas fotografias possam ser, ninguém vai descobri-lo em seu buraco de Hobbit acolhedor, a menos que se levante e se coloque no mercado."

Das coisas aleatórias, eu comprei meus pincéis de maquiagem da Pink Gloss e a base Healthy Mix da Bourjouis, estou completamente apaixonada pelas compras <3 Esse mês eu fiquei sonâmbula, o DL fez dois anos de vida, descobri que na verdade sou da Corvinal e ainda não sei como me sentir sobre isso. E conclui aquela atualização de software que começou ano passado, acredito que tenho muito que aprender sobre mim ainda, mas por ora, cresci muito. E eu dividi por aqui a minha coleção de maquiagem!

Links do mês
Ode a Harry Styles, e uma palavrinha sobre a dita masculinidade
O declutter físico e o desapego emocional
Plenitudinis, das coisas boas da vida
16 coisas que só um viajante introvertido entende
Não, eu não te levo a sério
Por que ter um dia da mulher?, março está chegando, que tal a gente refletir um pouco? {vídeo}
Ao invés de tentar repetir emoções, busque uma nova primeira vez


Ufa, agora acabou. O que fevereiro te trouxe de bom?

26 fevereiro 2016

Domingo todo dia

O mais legal de se estar de férias é a sensação de ser domingo todo dia: não importa que dia é hoje, sempre será um domingo, ou no máximo um looping entre o sábado e o domingo. Diferentemente das minhas férias de dezembro de 2014, dessa vez eu não virei a noite em nenhum dos dias porque simplesmente dormir está sendo ótimo. Eu tenho uma teoria de que quanto mais velho você fica, vai você dorme. Me sinto com 110 anos.

Falando em se sentir velho, quando eu penso que pessoas que nasceram em 1998 são maiores de idade, me dói na artrite. Sim, eu consigo me sentir velha com menos de 25 anos. Ultimamente eu ando muito ligada no meu aniversário, não sei dizer bem o motivo. Certo que todo ano eu fico um período matutando sobre o próximo, mas dessa vez está diferente. Eu tenho a sensação de que 2016 está tramando, não contra mim, mas surpresas boas pra mim. Eu ando experimentando muito nesse ano e olha que estamos no vigésimo quinto dia do segundo mês do ano.

Pensando bem eu preciso aprender a apreciar momentos. Não criar fantasias - ou expectativas -, mas apreciar as coisas como elas são e apenas são. Sem aumentar, sem diminuir. Aquele momento, foi um grande momento, e foi um momento que passou, e enquanto eu continuar remoendo meus momentos, jamais aproveitarei o que os novos momentos têm para me proporcionar. Novos momentos, novas experiências, novas pessoas. Momentos são únicos, mas memórias são quase pra sempre. O tempo sempre nos trás o que precisamos e não o que queremos, só que às vezes casa de ser a mesma coisa.

24 fevereiro 2016

Quem importa é quem não se importa

Já sentiu como se você não fosse você, mesmo sendo aquele você por muito tempo? Já sentiu como se aquele você, não fosse você totalmente? Depois de passar a vida toda usando um "uniforme", aquele meu eu, mesmo sendo eu, não estava mais satisfeito com o que via no espelho. As coisas começaram a mudar de alguns anos pra cá. Eu escrevi sobre isso aqui e volto hoje como uma continuação (conclusão?) do que tirei desses dois meses observando meu guarda-roupa. Várias coisas me incomodavam nele como as estampas que não diziam nada sobre mim, a falta de calças e a falta de rotatividade. Ou como todas as minhas camisetas eram praticamente iguais (o excesso de camisetas). Eu saio tão pouco de casa que não tem COMO repetir as combinações, mas eu repetia mesmo assim (e não é como se eu tivesse muitas roupas).

Sempre tem aquela blusa que eu uso mais por ser uma favorita, mas o que quero dizer é tudo ficava igual, independente da blusa que eu colocava, e continuava parecendo uma adolescente. Não me leve a mal, eu tenho quase 22 anos e quero sim envelhecer bem devagar, mas eu continuava usando as mesmas roupas de quando eu tinha 15, era como se eu não tivesse evoluído nada em seis anos. (Sabe quando a Mother fala pro cara que ela tem 16 anos e ele acredita? Sou eu.) (Será que eu deveria fazer referência à Mother?) (Isso é spoiler?) (Assistam How I Met Your Mother!!!!).

Aqui preciso acrescentar um adendo e dizer que sempre fui apaixonada por coisas fofas estilo Zooey Deschanel e Taylor Swift, mas eu morria de medo de usar por achar que não combinava com o meu estilo, sendo que eu nem tinha um estilo. Meio que aquela coisa meio grunge, rocker por assim dizer, ficou impregnada em mim ao passar dos anos e eu acabava sempre comprando as mesmas coisas. Eu sou isso, mas não só isso.

Eu parei de odiar sapatilhas, agora é o sapato que eu mais uso depois do Converse. Eu adotei laços, rendas, detalhes. Eu parei de olhar a peça em geral e comecei a focar em seus detalhes, seja uma gola diferente, botões delicados, rendas em lugares antes não imaginados. Hoje eu tenho uma sapatilha preta que não seria mais que uma sapatilha preta não fossem os bigodes de gato no lugar de um laço. Eu tenho uma regata que seria só uma regata não fossem as alças de crochê, o laço na cintura e o tecido fluido. Eu tenho uma espadrille que seria só uma espadrille, mas ela é de renda.

Eu ainda tenho um longo caminho pela frente como por exemplo parar de medo de usar saias e vestidos em público, mas aos poucos vou descobrindo um lado meu que, lá no fundo, eu conhecia. Só eu conhecia. Eu demorei a me livrar das amarras do jeans-camiseta-tênis, mas depois foi libertador usar tudo o que me deu vontade. As pessoas vão olhar, algumas vão julgar, mas como dizem (alguém), quem importa é quem não se importa, e eu demorei a perceber isso.

Chega de usar a capa de invisibilidade.

Para ler e se inspirar:

23 fevereiro 2016

Minha coleção de maquiagem


Olá você! Bom, do ano passado pra cá essa pessoa que vos fala aprendeu a gostar de maquiagem e virou uma entusiasta dessas coisas que a gente passa na cara de vez em quando, e como fiquei empolgada com as últimas compras que chegaram resolvi compartilhar o que é que somou na minha singela coleção.


Fazendo a linha blogueira de maquiagem até escrevi nas fotos #soproud. Aí em cima a única coisa que eu já tinha era o protetor solar. Eu gosto dele apesar de deixar a minha cara brilhando por algum motivo. Essa coisa verde é um primer para o rosto que cancela a vermelhidão que eu tenho devidos à visita de algumas espinhas, deixando a pele mais uniforme e melhor para receber a base, o pequenininho é um primer para os olhos que serve para fixar melhor as sombras e esse também serve como iluminador e o pó translúcido é um pó sem cor para assentar a maquiagem. Estudei.



Compra recente, eu simplesmente amei essa base da Bourjois! Eu comprei na Sephora morrendo de medo que ficasse muito clara pra mim, mesmo sendo a mais escura, mas ficou ótima! Ela é leve, mas cobre super bem as manchas mais suaves que eu tenho graças a algumas espinhas aí. Já disse que odeio espinhas? E eu acabei de perceber que não tirei foto do meu corretivo sozinho, de qualquer modo eu uso a cor 05 da linha Intense O'Boticário, e apesar de gostar bastante dele nas olheiras, ele sai facilmente das minhas manchas, bem triste.



Esse duo de sombras da Intense na verdade é da minha mãe, mas eu também uso :P ela já tem há um tempo, inclusive fui eu que dei de presente, e essa aí em cima é a paleta 01 que se chama Diva, da Vult, eu uso o marrom para preencher as sobrancelhas e no geral eu gosto bastante dessas sombras - se não, não estariam aqui. Já tenho há um tempinho.


Falando em sobrancelhas é graças a esse pincel aí em cima que elas agora existem!!! Eu também não fotografei minha máscara de cílios e o delineador sozinhos, eu uso a famosa amarelinha da Maybelline, The Colossal (se você tem cílios muito grandes como os meus e quer uma dica pra não manchar com essa máscara, eu passo ela projetando meu rosto para cima e não só os olhos, nunca mais tive borrões com ela), e meu delineador é o de caneta da Quem disse, Berenice?, cor pretolinha.


O que me motivou a fazer esse post foi esse kit lindo de pincéis da Pink Gloss, não da pra ver o quanto eles são bonitinhos por foto ♥ Vale dizer também que eles são sintéticos e cruelty free! Antes eu tinha um kit de quatro pincéis da Intense e tinha que ficar revezando, esse kit tem 16 pincéis, o que pode parecer muito, mas não preciso comprar nenhum picado e o mais importante: agora eu tenho sobrancelhas \o/


Meu blush é só mais um blush como outro qualquer. Ele é um rosinha que não fica estranho no meu tom de pele. Não fica parecendo uma chinelada. E aqui em baixo um batom vermelho da Intense que esqueci de abrir a bala, foi mal (ignorem a seta torta). Só um comentário aleatório, esse batom tem um cheiro gostosinho. Tanto o blush quanto o batom, eu já tinha.



E por fim mas não menos importante, meus batons líquidos, que me fizeram usar batom na vida real. No dia-a-dia eu uso mais o da Dailus que é um rosa meio cor de boca pra mim e acredite ou não meu primeiro batom mesmo foi esse roxo aí do meio. Começando sutilmente. O mais recente, mas nem tanto, é o da Dailus. Gosto das duas marcas e não vejo muita diferença no final, mas pra mim os da Ricosti são mais vibrantes enquanto os da Dailus são mais "opacos", menos cheguei, sabe? Essa é a visão geral da coleção (novamente, ignore as setas estranhas):


Coisas que não foram comentadas individualmente, o corretivo iluminador da Quem disse, Berenice? que é só um corretivo mais claro que a minha pele para iluminar, compra recente, e o corretivo em bastão da Avon que a ideia inicial era fazer contorno, mas aparentemente, minha cor é a chocolate e ele se mesclou bem na minha pele, ops, também recente. E meu apontador está aí porque antigamente eu tinha alguns lápis, que é a única coisa que me falta no momento, mas não faz falta, é de uma marca chamada Inspiração. Aqueles dois batons brancos e outro entre eles não vale a pena comentar, não gosto deles ¯\_(ツ)_/¯ são dois da Avon (eu sempre tenho problemas com as coisas da Avon) e um da Abelha Rainha, bem antigos na verdade.


Por hoje é só!
__________________________________________________________________________________________________________
p.s.: eu ia fazer uma maquiagem para mostrar como os produtos ficam na pele, mas a preguiça falou muito mais alto considerando o trabalho que eu ia ter para tirar tudo depois e ainda limpar meus pincéis, fora o fato de gastar os produtos só pra lavar depois já que eu não vou sair de casa, então, não vale a pena o esforço.

Desculpa.

22 fevereiro 2016

Fica, vai ter bolo

E não foi que eu esqueci do aniversário do DL? 

Hoje, 22 de fevereiro, fazem dois anos do primeiro texto!

Eu fiz uma promessa pro meu outro diário blog (pois aparentemente eu falo com blogs) (e comemoro seus aniversários) (me internem) de nunca mais deletar nada, que tem muita coisa que eu teria salvado se minha eu adolescente não tivesse queimado deletado as velhas páginas, então, essa é minha promessa para o DL: não deletar nada com o passar dos anos (não importa quão constrangedor alguns textos fiquem no futuro).

YEY!

O caso da bolacha na janela

Certo dia uma jovem na casa de seus 20 e poucos anos acordou com seu gato miando em sua janela, acordou confusa, nada de gato. Seu pai tinha aberto a janela da cozinha para seu gato entrar. A jovem percebendo algumas necessidades naquela manhã de domingo foi fazê-las, e depois voltou a dormir pois sentia dor. Essa mesma jovem acordou mais tarde nesse mesmo dia com um conversa de que os pais iam para a casa da avó, tudo o que ela se lembra era da pergunta se o irmão queria ir, com dor, voltou a dormir novamente. Mais tarde no mesmo dia a jovem de nossa história acorda efetivamente de uma noite não muito bem dormida, acompanhada de sonhos estranhos com jovens andando de toalha de banho em aeroportos, ela se levanta, vai tomar café, faz tudo o que uma pessoa normal faz em uma manhã normal de domingo. Quase na hora do almoço, enquanto assistia videoclipes de Taylor Swift, nossa jovem percebe uma coisa estranha em sua janela: um pacote de bolacha aberto com meia bolacha comida em cima. Ninguém comeu a bolacha e muito menos deixou o pacote na janela. Aparentemente a jovem de nossa história teve um ataque de sonambulismo e tomou café da manhã dormindo, o que explica o cheiro de bolacha em seus dedos, que só foi perceber algumas horas depois. 

Comer é tão bom que a pessoa come até dormindo.

E esse é o caso de como misteriosamente um pacote de bolacha aberto com meia bolacha em cima foi parar na minha janela.

Bom dia.


19 fevereiro 2016

O grande meme musical - parte 2

Continuando o post anterior (não me pergunte o motivo de eu ter demorado tanto):

day 16: a song that you used to love but now hate
A primeira música que veio na minha cabeça foi Party In The USA ¯\_(ツ)_/¯ Eu não odeio PITUSA, mas confesso que ouvindo agora, ficou chatinha.

day 17: a song that you hear often on the radio
Nunca parei pra ouvir rádio, eu só ouvia quando minhas tias ouviam e normalmente era algum sertanejo.

day 18: a song that you wish you heard on the radio
Novamente, nunca fui de rádio, mas seria legal ouvir Five Colours In Her Hair, do McFly (e poder gritar "minha música" caso eu esteja com o cabelo todo colorido).

day 19: a song from your favorite album
Pergunta injusta. Não tenho só um álbum favorito. E eu não quero ficar repetitiva nas respostas, mas do ano passado pra cá fiquei obcecada pela Taylor Swift e eu poderia facilmente escolher qualquer música do Fearless ao 1989, mas vou com Stop The World da Demi Lovato, porque mesmo odiando o Confident, Here We Go Again e Don't Forget continuam sendo meus CDs favoritos dela.

day 20: a song that you listen to when you’re angry
Make Me Wanna Die, The Pretty Reackles.

day 21: a song that you listen to when you’re happy

day 22: a song that you listen to when you’re sad
Se eu estou triste e quero me animar, Fifth Harmony é sempre uma opção, mas Hey Jude dos Beatles faz o melhor trabalho na hora de colocar um sorriso no meu rosto.

day 23: a song that you want to play at your wedding
Caso essa coisa de casar aconteça um dia, eu parei pra pensar e me veio a cena do parque em Encantada, provavelmente não tocaria na entrada, mas na festa, e eu obrigaria todos os convidados a dançar.


day 24: a song that you want to play at your funeral
Que pergunta mais mórbida, mas quis colocar uma música do primeiro CD do Legião Urbana, então vou com Por Enquanto, acho que casa bem.

day 25: a song that makes you laugh
Bounce, por motivos óbvios.

day 26: a song that you can play on an instrument
Não sei tocar instrumentos :/

day 27: a song that you wish you could play
Se soubesse gostaria de tocar Please Be Mine pra alguém no violão <3

day 28: a song that makes you feel guilty
¯\_(ツ)_/¯ 

day 29: a song from your childhood
13 anos não é "childhood", mas eu só consigo pensar em Xuxa, e nada muito marcante, então eu não poderia fechar esse meme sem a primeira abertura de Hannah Montana.


day 30: your favorite song at this time last year
Em janeiro do ano passado respondi o "minha história em dez músicas" e a música que eu estava viciada na época era Blank Space, considerando que se passou só um mês, eu vou chutar que ou eu continuava ouvindo Blank Space sem parar ou passei para Style

Por hoje é só!

15 fevereiro 2016

O grande meme musical

Olá! Depois de quase uma eternidade do último post, resolvi trazer um meme só porque eu estava com vontade de responder um meme, e é sobre música. Acontece que do dia 07 até hoje aconteceram umas coisinhas na minha vida (finalmente conversei decentemente com alguém naquele aplicativo chamado Tinder, marcamos um encontro no mesmo dia, nos encontramos dia 11 e assistimos (risos) O Regresso, é um bom filme, recomendo), enfim, digamos que a vida tenha ficado meio agitada na última semana. Inclusive tive vida social sábado, tô aproveitando as férias. 

Voltando ao meme.

Assim como o meme literário de 30 dias, eu descobri esse meme também no A life less ordinary, que são 30 dias musicais, que eu transformei em um post só. Então vou parar de enrolar que isso daqui vai ficar gigante:

day 01: your favorite song
Eu não tenho uma música favorita de todos os tempos, isso é muito relativo, mas no momento em que escrevo essa resposta eu diria Sorry do Justin Bieber pois não consigo parar de ouvir? Talvez.

day 02: your least favorite song
Watch Me, já enjoou.

day 03: a song that makes you happy
Aqui eu preciso dizer One Direction me deixa feliz, e escolho Live While We're Young.

day 04: a song that makes you sad
When You Look Me In The Eyes, preciso nem me explicar, né? 


day 05: a song that reminds you of someone
Vou dar uma roubada e escolher duas músicas: Wildest Dreams da Taylor e Exagerado do Cazuza (na verdade estou escolhendo mais o Cazuza do que a música).

day 06: a song that reminds you of somewhere
Eu não consigo pensar em nenhuma música que me lembre algum lugar! Eu poderia dizer Fancy que me lembra o banheiro químico da Alforria, mas eu vou com Paris da Yael Naim pra ser mais poética.

day 07: a song that reminds you of a certain event
Dog Days Are Over, por motivos de setembro de 2015.

day 08: a song that you know all the words to
Todas as músicas que me proponho a aprender, mas me orgulho de conseguir cantar Introducing Me.

day 09: a song that you can dance to
Se for em questão de sair por aí dançando como se ninguém estivesse olhando, qualquer uma! Pra uma que sei a coreografia, bom, Hoedown Thoedown (como se fosse muito difícil).


day 10: a song that makes you fall asleep
Nunca dormi ouvindo música (?). 

day 11: a song from your favorite band
Eu ia colocar Jonas Brothers aqui, mas resolvi fazer birra e escolher uma música da DNCE, a banda do Joe: Cake By The Ocean, porque sou óbvia.

day 12: a song from a band you hate
Se odeio uma banda, não vou ouvir suas músicas, e até onde eu sei, não odeio nenhuma banda.

day 13: a song that is a guilty pleasure
Odeio chamar de "guilty pleasure", mas eu amo Bang e inclusive sei cantar a música inteira.

day 14: a song that no one would expect you to love
Provavelmente, Livin' On A Prayer do Bon Jovi

day 15: a song that describes you



Parei por aqui porque isso aqui já está grande demais até pra mim. O grande meme musical em duas partes :D

Até a próxima!

07 fevereiro 2016

Acontecem coisas

Sendo uma pessoa de mechas azuis era de se esperar que em algum momento eu explorasse outras cores. Na verdade eu comecei pintando a nuca de roxo lá em 2014 e as mechas vieram aumentando desde então, até que no dia 05 de janeiro de 2016, bem, aconteceram coisas: meu cabelo está totalmente vermelho!


Pois é. Eu já estava com a ideia de pintar o cabelo todo e de alguma forma clarear ele (?), mas acabei escolhendo um tom avermelhado, e foi minha primeira vez pintando em um salão. Fiquei completamente empolgada e ansiosa pra que chegasse logo o dia e estava contando as horas. Mas antes dessa ansiedade toda, na verdade eu estava com medo de não ficar bom, ficar estranho ou sei lá, então comecei a pesquisar algumas inspirações capilares e resolvi compartilhar aqui :) Resolvi chamar essa mudança de Projeto Weasley por motivos óbvios. Meu medo inicial era ficar parecendo muito mais velha pela minha única referência "ruiva", se posso chamar assim, era minha avó. Desculpa vó.


Olha o cabelo dessa primeira moça da segunda fileira, tô apaixonada!!! Meu tom de vermelho é bem mais fechado e puxado pro vermelho mesmo, a tinta que eu usei foi da marca Koleston na cor Acaju púrpura, número 366, mas como tenho cabelo demais, a cabeleireira precisou pegar metade de uma tinta que ela já tinha, não lembro qual foi a marca, mas foi no tom 466, ou seja, mais claro do que o que eu levei. Pesquisei um pouco antes de comprar e ainda não entendo dessa tintas de farmácia (meu negócio é tinta fantasia, amigos), mas o número 6 no final basicamente quer dizer que a nuance é puxada pro vermelho e os números na frente como 3 e 4 representam o fundo da tinta. Basicamente a que eu levei era castanho escuro e a que ela tinha era um castanho claro. 



"deixa eu fingir que tô usando o computador aqui pra tirar uma foto decente"

Dessa experiência a única coisa que não gostei foi que ficou escuro demais, só da pra reparar na cor olhando bem de perto ou no sol, e nesses dois dias só choveu então nada de sol pra tentar mostrar a cor, mas por isso eu já esperava considerando que meu cabelo é naturalmente preto azulado, com o tempo eu vou clareando e vida que segue. Inclusive já estou com saudade das minha mechas azuis, haha. (Não da nem pra reparar na cor nessa foto.)

Falando em fabulous, mais alguém viu a boneca Barbie negra de cabelos cacheados e vermelhos? ACONTECEU

Se alguém quiser me dar essa boneca de presente, estou aceitando, assim mesmo na cara de pau. É bom ver que hoje em dia não só de Barbies bailarinas vivem as meninas, nada contra, inclusive tive uma, mas ter um boneca que é a sua cara é muito mais legal.

Por hoje é só :)

05 fevereiro 2016

Down a rabbit hole

Ou: Uma terra mágica chamada Tinder.

Comentei ontem sobre passar parte do dia dando X em rapazes no Tinder, então aqui vai a história toda. Já adianto que isso nada vai mudar na vida de ninguém, então, tá.

Nunca pensei que eu seria o tipo de pessoa que usa aplicativos de relacionamento, mas foi o que aconteceu nessas férias. Dia 30 de janeiro em um momento de puro ócio baixei o aplicativo e entrei no mundo mágico dos X's, dos likes e dos matchs. Confesso que quando a pessoa tem "Harry Potter" como gosto em comum ela já ganha pontos comigo e vou dar uma stalkeada básica antes de decidir se merece meu like ou não. Critérios. De lá pra cá (04 de fevereiro) já passaram as pessoas mais bizarras pela minha tela, uma parte sendo projetos de cowboys, outros boys que foram pra França (parece que todo mundo no Tinder viajou pra fora do país e boa parte foi para Paris [me leva por favor nunca te pedi nada!!!]) e um cara com uma serra elétrica (oi???). Como comentei com um amigo meu, as pessoas por lá precisam ser estudadas. Não conversei com ninguém ainda (04 de fevereiro) e acredito que quando eu voltar pro trabalho essa diversão vai acabar, mas vamos ver no que isso vai dar.

Didn't it all seem new and exciting?

A parte mais legal por enquanto está sendo tomar a iniciativa quando acontece o mágico match. Eu definitivamente não sou a pessoa que chega puxando a conversa na vida real, mas é até divertido apesar de nada efetivo por enquanto. O primeiro eu surtei por não saber lidar com reciprocidade e demorei duas horas pra falar com o rapaz que, ops, unmatch. O segundo não tem senso de humor e não entendeu meu "oi" dado de bom grado com ajuda de um gif do Jimmy Fallon e deu unmatch também (dá pra usar gifs no Tinder gente, melhor parte do app). O terceiro foi meu amigo. Pro quarto mandei um "Olá" básico que está lá até hoje, vida que segue. Pro quinto, o que tinha "Harry Potter" em comum, mandei um gif simpático do Rony e embaixo um "Olá :D", alegre, que pessoa comunicativa, não? HAHAHA, no.

Enfim.

04 fevereiro 2016

Quando xícaras bonitinhas cruzam seu caminho

Hey yo!

Tédio pode ser sinônimo de férias ou o contrário e, confesso que mesmo querendo ficar de férias pra sempre, no segundo dia eu já estava morrendo de tédio querendo estar morta (e foi assim que comecei a perder parte do meu dia dando X em rapazes no Tinder, mas essa história fica pra outra hora). Acontece que ontem minha mãe apareceu com umas xícaras bem bonitinhas em casa e resolvi por que não fotografá-las? Então, aqui estamos.



Enquanto eu brincava no Photoshop essa magia aí em cima aconteceu, e eu realmente não estava prestando atenção no Photoshop quando fiz isso daí, num tutorial rápido caso você queira trocar as cores das suas flores: Image > Adjustments > Color Lookup... > deixe o 3DLUT File selecionado > escolha 2Strip.look > seja feliz O(≧∇≦)O Eu só não sei dizer como está em português ¯\_(ツ)_/¯




Eu amei essa foto abaixo em especial, de alguma forma me lembrou a Maria Antonieta da Sofia Coppola.



That's all folks!

03 fevereiro 2016

You might belong in Huffle... oh, wait

Se você é Potterhead e reparou no meu layout, estava clara minha identidade Lufana. Em janeiro de 2014 eu fiz meu primeiro teste no Pottermore com direito a lagriminhas de felicidade e desde então venho cultivando esse meu lado. Acontece que dois anos depois, em um novo Pottermore, as coisas mudaram. Eu já tinha feito outros dois testes aleatórios onde em um eu caí na Lufa-Lufa e outro na Corvinal, o segundo eu ignorei e segui com a vida normalmente, e estava com medo de fazer esse novo teste oficial e não cair de novo na Lufa-Lufa, afinal; e foi o que aconteceu.
Não sou mais um texugo! Na verdade a sensação que eu tenho é que sou praticamente uma Divergente já que em relação ao teste das casas híbridas do Buzzfeed, sou Gryffinpuff.

just kidding

Ainda estou em processo de aceitação da minha nova condição.

01 fevereiro 2016

Pensamentos sobre janeiro

Em janeiro aprendi que sou mais forte que as decepções. E que não importa quantas vezes eu fique triste e sem esperança, as coisas vão melhorar. Em janeiro eu cortei o cabelo e pode não fazer sentido já que uma das metas desse ano é deixa-lo crescer, mas ele estava com as pontas cagadas e todo torto, então, igualei pra ele crescer saudável. Em janeiro voltei com o cronograma capilar, comprei um baldinho de lixo e um edredom novo, encontrei o batom da Dailus que eu tanto queria e, aguarde cenas dos próximos capítulos. No dia 20 de janeiro descobri que estou de férias dia 01 de fevereiro: adeus viagem para terras cariocas. Foi tipo, "toma aqui suas férias", e no meu último dia faço questão de sair cantando Livre Estou. Esse mês fiz exame de vista e descobri que tenho glaucoma e se não cuidar, posso ficar cega. Janeiro


Janeiro foi um mês esquisito. Minha virada do ano não foi das melhores, mas eu comecei 2016 até feliz. De um jeito estranho. As coisas estavam funcionando. Mas aí ficou sei lá. E ficou legal de novo. E voltou a ser sei lá. Só sei que eu precisava muito dessas férias e as pessoas vão levar alguns sustos quando eu voltar. 


Links de janeiro


Dos livros, eu li dois e meio. Comecei o ano lendo Um sorriso ou dois, do Fred. Esse livro é um compilado de crônicas escrito pelo Fred Elboni do blog Entenda os Homens, algumas eu já tinha lido no blog e outras foram inéditas pra mim. O jeito que Fred escreve é único, ele coloca sentimentos em suas palavras e sabe exatamente quais palavras usar em cada situação. O livro segue mesmo a linha do blog, falando sobre amor, relacionamentos, passando das crônicas aos contos naquele jeito bem Fred de ser. Eu encontrei esse livro em um sebo dando uma volta pela cidade, e só me arrependo de não ter lido antes. Depois eu li O Duque e Eu, da Julia Quinn e amei muito esse livro. Talvez eu escreva alguma coisa mais detalhada depois. E por enquanto estou a metade de Dezesseis Luas, gostando.

Dos filmes eu assisti dez só esse mês. Três que eu já tinha assistido e sete inéditos:

01 - 01/01 - Hua Mulan (2009) (reassistido) ★★★★★♥
02 - 02/01 - A jovem Rainha Vitória (2010) ★★★★★
03 - 02/01 - Coco Before Chanel (2009) ★★★★★
04 - 10/01 - A Burning Passion: The Margaret Mitchell Story (1994) ★★★
05 - 10/01 - Meninas Malvadas (2004) (reassistido) ★★★★★
06 - 10/01 - Monte Carlo (2011) (reassistido) ★★★★★
07 - 22/01 - Esposa de mentirinha (2011) ★★★★★
08 - 23/01 - Simplesmente Acontece (2014) ★★★★★
09 - 31/01 - Professora Sem Classe (2011) ★★★
10 - 31/01 - Juno (2007) ★★★★

Prometo fazer um texto detalhado pra cada um deles. Esse mês acabei não resenhando nada como deu para perceber, mas vou tentar comentar as coisas agora em fevereiro. 


Enfim, eu meio que empurrei janeiro com a barriga e empurrei mais ainda depois que eu descobri que ia entrar de férias, tudo o que eu queria era que aquele mês acabasse logo, e acabou, hoje é dia primeiro, estou oficialmente de férias e não faço a menor ideia do que vou fazer nos próximos 30 dias. 

Yay.